quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Coloquialmente falando...

Sandra Annenberg e Evaristo Costa: a dupla engraçadinha do "Jornal Hoje"

"Um calor do 'cão!'". Foi assim que a apresentadora do "Jornal Hoje", da Rede Globo, se referiu ontem, 24/11/2009 (desculpem, não resisti ao trocadilho), ao calor extremo que anda fazendo no Rio de Janeiro, que passa, fácil, fácil, da casa dos 30 graus. Outra que também resolveu "falar a língua do povo" foi a apresentadora do "Leitura Dinâmica", da Rede TV!, Renata Maranhão, que, ao se referir ao presidente Lula, disse, durante a escalada do jornal, que ele estava "P da vida" com alguma coisa, no dia 15 de maio desse ano.

Interessante, não?! Quando nós poderíamos pensar que um dia os engomadinhos âncoras e apresentadores de nossos telejornais sairiam falando como nós falamos nas conversas informais em torno da mesa de jantar ou fazendo piadinhas sobre as notícias (como no famoso caso do "A CGP foi pra PQP")?!?! Não pense que estamos diante da "era de Aquario" ou algo do tipo. Isso nada mais é do que uma mudança na maneira de fazer jornal na televisão. Acabou aquele abismo enorme que existia entre a linguagem jornalística e a linguagem informal. Não, não confunda com o "jornalismo Gonzo". O que está acontecendo aqui é uma adaptação do jornalismo tradicional, que resolveu se aproximar mais do telespectador.

Isso já acontecia há muito tempo na programação local da TV aqui em Alagoas, mas somente nos programas policiais, teoricamente mais popularescos. Os jornais tradicionais ainda são feitos à moda antiga. Mas agora, os grandes telejornais no Brasil todo estão seguindo uma linha mais popular, seja falando de assuntos mais próximos da realidade do povo (como os não sei quantos "Balanço Geral", da Record), seja usando uma linguagem mais informal (e sem o T.P., uma baita coragem), como o "Globo Esporte SP" e o "RJ TV", ambos da Globo; ou então juntando essas duas vertentes, como o "Jornal do SBT Rio", do... ah, você sabe de que emissora estou falando; ou mesmo colocando a apresentadora pra andar pelo cenário, como no já citado "Leitura Dinâmica" ou até tirando todas as notícias ruins, caso do curioso "Good News", da Rede TV!

Isso é muito legal se levarmos em conta o fato de que, assim, esses telejornais ficam mais leves, mais dinâmicos. Mas as equipes desses programas têm de tomar um cuidado extremo para não cair na baixaria, no popularesco, já que a linha que divide o popular do "super popular" é muito tênue. Além disso, por ser uma maneira relativamente nova de se fazer jornalismo, algumas emissoras estão "apanhando" pra fazer a coisa direito. Pergunte para a âncora do "RJ TV", que não consegue se entender com as câmeras!

Talvez esse seja o futuro do jornalismo: transformar o noticiário em uma conversa. Já existem alguns bons exemplos a serem seguidos, como o "Estúdio i", da Globo News, apresentado pela competentíssima Maria Beltrão (vi duas entrevistas dela e já me tornei fã!), que é uma grande conversa com o telespectador sobre o que está acontecendo no Brasil e no mundo. Se todas as emissoras seguirem essa fórmula, podemos esperar uma revolução interessante no jornalismo televisivo. Espero que isso não demore muito a acontecer! E você, estudante de jornalismo, já vá se acostumando a fazer isso... vai que resolvem acabar de vez com o T.P.?!?! (medo)

Pra servir de exemplo, veja o que Tiago Leifert anda fazendo no "Globo Esporte SP":



Isso é o que eu chamo de liberdade editorial!

Em tempo: já que estamos falando em mudanças, recentemente dois telejornais tiveram suas bancadas modificadas. No "Jornal da Record", saiu aquela bancada "marrom" e entrou uma "azul", que não tem nada a ver com o resto da redação. Já a Rede TV! teve a ideia mais idiota do mundo para a bancada do seu "Rede TV! News": agora, no meio da redação tem uma bancada giratória... sim, durante o jornal os apresentadores ficam girando como se estivessem num carrossel (com direito a câmera balançando e tudo mais, como a pintura da favela que aparece de vez em quando pela janela da redação)... E depois todo mundo achava o "Naked News" estranho...

Um comentário:

Eduardo Leite disse...

Nunca tinha ouvido falar desse "Good News". Adorei a ideia. Quero assistir :X