segunda-feira, 12 de outubro de 2009

A programação local que não é legal!

Um dos "astros" da tv alagoana em "ação" (cof, cof): o diretor, produtor, fotógrafo, contra-regra,
iluminador, câmera, editor de revista e garoto propaganda James "Silver" da Silva.

Opções para todos os gostos (e, até certo ponto, para todos os bolsos). É assim que podemos definir a atual situação da televisão alagoana. Mas não se engane. Apesar de essa frase parecer um elogio, ela também mostra uma "face oculta" da TV aqui em nosso estado: essa variedade não existe de fato. Quer dizer, existir até existe, mas é tão fraca que nem vale a pena estourar fogos comemorando seu poder de escolha! Pra provar que eu não estou exagerando, vamos analisar os fatos...

Começando pelo começo, temos os carros chefes da programação: os programas jornalísticos. O telespectador pode escolher entre os jornais diários (um beeem diferente do outro), os esportivos, que, para a felicidade de todos, começaram a se diversificar mais, mostrando que no nosso estado não existe somente futebol... ainda bem, porque nem disso dá pra se orgulhar. Além desses, temos os programas de entrevistas, o de matérias especiais (sim, um só), os temáticos e o "poderoso chefão", o arrebatador de multidões, os extremamente mal-feitos, mas ainda assim, líderes de audiência, programas policiais!

Vamos fazer uma rápida pausa nesses. Antigamente, eles se preocupavam em mostrar, somente, as mazelas da sociedade, ou seja, morte, gente necessitada e mais morte. Tanto que a grande maioria deles adorava exibir gente morta no horário do almoço. E o que é melhor: sem censura nenhuma! Imagine a cena: você, com sua família, em frente à TV em plena hora daquela macarronada com molho de tomate. Daí então, vocês ligam a televisão e dão de cara com a imagem de um cadáver com suas tripas para fora que, por estarem cobertas de sangue lembram, e muito, o macarrão que você está comendo! Legal, né!? Ainda bem que, com o passar dos anos, isso acabou (ou então, as emissoras aprenderam a usar o "embaçamento" da tela nessas partes). Aliás, acabou aqui, porque em Recife a coisa continua. E, segundo algumas coisas que andei lendo na internet, a prática chegou ao sul do país, através da (ora veja só) Record. Além disso, os programas policiais começaram a agregar outras coisas em suas "pautas", tais como "humor" (falta um pouco ainda, mas já é engraçadinho...), "revelação de talentos" (cof, cof) e outras coisas, que, creio eu, servem para deixar a programação mais leve... tá, sei!

Temos também outra categoria de programa que chegou recentemente à nossa TV, pegando carona na nova mania nacional: as revistas eletrônicas. Nesses programas, que são formatados para parecer com uma revista (até hoje não sei a razão disso. Se alguém souber, por favor, sinta-se a vontade para explicar... se tiver paciência, claro!), imperam os assuntos mais "light" (leia-se, sem graça nenhuma) e a culinária, que não podem ser colocados nos programas policiais. "Hoje em Dia", temos dois programas nesse estilo, que querem fazer parte do "Dia Dia" das donas de casa, transformando suas manhãs numa "Manhã Maior": "Cotidiano", na TV Alagoas; e "Feito pra Você", na TV Pajuçara. Detalhe: se revista eletrônica for o que é mostrado nesses dois programas, é melhor acabar essa historinha de "atulhar diferentes assuntos num programa só" por aqui mesmo!

Por último, mas não menos importante, temos os programas "inúteis", que não servem para nada (eu sei, é redundante, mas é verdade!). Ou melhor, servem só para ocupar espaço na programação. De um lado temos os programas eleitoreiros, que mostram as "boas coisas" feitas pelos políticos do estado. Por mais incrível que pareça, esses programas nunca ficam sem assunto. É como se os políticos locais estivessem o tempo todo trabalhando e inaugurando obras. Como nós todos sabemos que isso não acontece, temos um problema. De onde saem as pautas desses programas? Estranho... Se por um lado temos os políticos, do outro temos James Silver. Sabe quem é? Ele é o apresentador dos 15 minutos mais inúteis da televisão mundial! O seu programa, o Sem Estilo... ou melhor, o "Com Estilo", é daqueles programas que mostram umas coisas que as classes C e D nunca vão ter ou lugares em que essas pessoas nunca irão! Ou seja, é um programa elitista, que mostra o "Life Style of Rich and Famous" da alta sociedade alagoana. Em outras palavras, é um programa tão profundo quanto um pires ou a coluna social dos jornais. Seja sincero... essas coisas não têm a menor graça. Pra quê ficar sabendo que "Fulana e Cicrano estão juntos aproveitando a lua de mel na orla de nossa cidade. Felicidade aos pombinhos" ? E daí que eles tão aproveitando a lua de mel? Quem são Fulana e Cicrano?? Isso cai no ENEM??? Ah, faça-me o favor!

Enfim, analisando a (medonha) programação local de nosso estado, podemos perceber que os únicos de que podemos nos orgulhar são os jornalísticos (menos os policiais... desses é melhor ter vergonha), pois eles ainda prezam pela qualidade... nem sempre, é claro, mas eles bem que se esforçam! E, pensando bem, qualquer coisa é melhor que assistir ao "Com Estilo" e seu "Estilo de A a Z", em que os convidados, na maioria das vezes, associam a letra "X" com a Xuxa... é, além de "estilosos" eles também são criativos! (se for pra ficar rico e ficar assim, prefiro ser pobre!) E antes que eu me esqueça: quer ter uma boa ideia de como se faz televisão em nosso estado? Então, o "Esporte Campeão", da "TV Alagoas Mundial do Poder do Valdemiro Santiago". é o seu programa. James Silver perde feio pro Eduardo Canuto e sua equipe de repórteres... Para evitar que você enlouqueça vendo esse show de horror, não vou colocar nenhum vídeo do programa aqui! Um dia você vai me agradecer!!

2 comentários:

Ludmila disse...

Hmmmm...
É, né.


Você tem é que assistir TV Educativa. Conhece um programa chamado Vida de Artista? :DD

dEREK disse...

Ops... eu tinha me esquecido da senhora sua mãe e da TV Educativa!!
É que, como esse canal não pega aqui em casa, acabei não considerando, mas, vale a lembrança: a TV Educativa, por enquanto, está isenta de meus comentários maldosos sobre a tv alagoana (eu até já apareci na TVE, sabia?! Num programa chamado... chamado... er... esqueci, mas era tipo o "Repórter Record" da TVE!)
E o programa "Vida de Artista" também está imune aos meus comentários (desde que não entreviste a Stéfany ou o James Silver, aí eu mudo de ideia! hahahaha)