quarta-feira, 16 de setembro de 2009

(um estranho) "Show da Fé" !

"Olha as emissoras que eu arrendei!"

Tem alguma coisa errada acontecendo com a nossa TV. De uns tempos para cá está acontecendo uma verdadeira invasão evangélica em todos os horários possíveis, não só naqueles em que ninguém está assistindo televisão. Antigamente, a responsável por esse "boom" televisivo das igrejas atendia pelo nome de "Igreja Universal", liderada por (advinha) Edir Macedo, hoje dono da Rede Record. Atualmente, estamos passando por tudo isso de novo, mas com uma voracidade muito maior, e com um novo nome para nos preocuparmos: Valdemiro Santiago, fundador da "Igreja Mundial" (percebeu alguma semelhança?)

Se antes a IURD alugava alguns horários nas emissoras, agora a IM está arrendando a programação inteira de várias emissoras em todo o país. Os dois casos mais famosos são o da "Rede 21", do Grupo Bandeirantes, que teve sua programação arrendada depois do "escândalo" Play TV, e o da TV Alagoas, ex-afiliada do SBT aqui no estado. Alegando dificuldades financeiras e pouco apoio do governo estadual, que quase não veinculava comerciais na sua programação, a família Sampaio, dona da emissora, achou por bem aceitar a proposta do pastor Valdemiro e arrendar a programação. Mas, diferente do que aconteceu na Rede 21, a Tv Alagoas ainda produz dois programas locais: o policial "Plantão Alagoas" e a revista eletrônica "Cotidiano". Além disso, a IM ainda aluga horários em outras emissoras, como a Band e a Rede TV!, em São Paulo, e a (endividada) CNT, no Paraná.

Aliás, a situação no Paraná é a mais estranha. Além de transmitir a programação da IM, a CNT tem acordo de transmissão com a igreja do R.R. Soares, que se mostrou extremamente incomodado com essa história, ameaçando deixar a emissora caso o pastor Valdemiro dê as caras por lá.

Outro que está se incomodando com essa história é o SBT que, na pessoa de Gulherme Stolliar, um de seus diretores, encaminhou reclamação (pessoalmente) ao Ministro das Comunicações, Hélio Costa. O diretor entregou ao ministro uma relação com emissoras que foram arrendadas ou são controladas por igrejas evangélicas, alegando que, de acordo com o decreto 52.795/1963, as emissoras não podem por à venda mais de 25% de seus espaços (só para efeito de comparação, a Universal ocupa 21% da programação da Record). Além disso, o que também está irritando a diretoria da emissora do patrão é o alto número de emissoras de sua rede que estão sendo compradas por emissoras ligadas a algum segmento religioso ou por emissoras totalmente religiosas, como foi o caso da Tv Alagoas. Aliás, a direção do SBT disse que vai lutar até a última instância para que a tv da família Sampaio volte a transmitir sua programação (mas eles também sabem que vai ser MUITO difícil...).

Alguns estudiosos de religião dizem que a IM é um dos "maiores fenômenos religiosos em curso no nosso país", o que só pode ser comparado à IURD, nos anos 90. Tá, pode até ser, mas já está começando a incomodar o público. Não o público que assiste a esse tipo de programação e sim o que gosta de sua programação como sempre foi: VARIADA! É incrível como esses programas religiosos são todos iguais. O que muda é o método de conseguir prender sua atenção. Enquanto umas tentam te pegar no seu ponto fraco (se seu emocional estiver abalado), outras tentam impressionar usando o "oculto" e o "sobrenatural" (sessão do Descarrego!!), às vezes abusando do sensacionalismo (não vou nem discutir a veracidade de algumas manifestações...).

O problema não está exatamente na mensagem que esses programas/pastores/igrejas transmitem. Muito pelo contrário. O negócio pega quando eles resolvem acabar com nossa liberdade de escolha. Não entendeu? Eu explico: o programa do pastor Valdemiro entra EM REDE todos os dias. O que isso quer dizer? Simples. Se você ligar na Tv Alagoas, vai vê-lo. Se resolver mudar de canal e colocar na Band, também vai vê-lo. Se mudar para a Rede TV!... surpresa, ele de novo! Percebeu? Se você gosta(va) de algum programa que passava naquele horário, esqueça. O negócio é mudar de canal. Mas aí aparece outro problema: mudar pra que canal, já que todos estão transmitindo o pastor ou algum programa no mesmo estilo, sempre no mesmo horário??

É nesse ponto que eu concordo com Gulherme Stolliar. A coisa está fora de controle. E acaba criando um problema ainda maior. Como todo mundo sabe, manter um programa não é algo barato. Agora me responda: como as igrejas conseguem alugar tantos horários em tantas emissoras diferentes, mantendo um número considerável de profissionais para a transmissão e usando instalações próprias (dizem que o pastor Valdemiro tem a réplica de uma montanha num de seus estúdios), além de ter que alugar um satélite pra transmitir toda a programação ao vivo? Bem... coitados dos fiéis... são sócios majoritários de emissoras e mais emissoras e não sabem.

Mas como tudo tem um lado bom, talvez, com essa história toda, a população comece a fazer o que a MTV sempre prega: "Desliga a TV e vá ler um livro!" Ah, e parafraseando um comentário que foi postado aqui há algum tempo, estamos vivendo uma verdadeira "Guerra-Santa" televisionada! Literalmente.

E antes de terminar esse post, segue uma sugestão pra deixar os programas dos pastores mais, digamos, interessantes: o pastor "Street Fighter"!




4 comentários:

Rafa disse...

Muito bom o texto, Derek! =O Como faz pra seguir o seu blog? Você escreve muito bem!

dEREK disse...

Falha minha...
Na atualização do visual esqueci de colocar o gadget dos seguidores (=D)...
Mas já está aí!!!
E obrigado pelo elogio!!
(tú escreve bem tbm =D)

Marcos disse...

Nossa
kkkkkkkkkkkkkkkk
esse pastor no final foi FANÁTICO!!
kkkkkkkkkkkkkkkk
Muito boa a crítica. Realmente, daqui a pouco a TV aberta vai deixar de lado a vontade do público e só transmitirá cultos!
Por isso eu digo: Vem ai TVC!
Abraços

dEREK disse...

Só cuidado pra não encontrar o Valdemiro pela cidade...
Vai que ele cresce o olho em cima da TVC?!?!?!?!?!?
Tá amarrado!!!
=D