terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Tem "cospobre" até na tv brasileira!!

"Cospobres" do Sonic... tosco é apelido!
Fonte: SEGA Nerds Brasil

Cosplay, segundo a Wikipedia, "é abreviação de costume play ou ainda costume roleplay (ambos do inglês) que podem traduzir-se por "jogo de disfarces" ou "jogo de fantasias" (...), para referir-se a atividade lúdica praticada principalmente (porém não exclusivamente) por jovens e que consiste em disfarçar-se ou fantasiar-se de algum personagem real, concreto ou abstrato, (...) acompanhado da tentativa de interpretá-los [ou parecer com eles] na medida do possível."

Existe ainda, uma outra vertente, a "cospobre", que é mais ou menos a mesma coisa que o "cosplay", só que com pouco ou nenhum orçamento, o que obriga o "candidato a cosplayer" a se virar como pode, tornando sempre a situação hilária (dá uma olhada na foto que ilustra esse post).

Mas aí você me pergunta: tá, e daí?! Bem... ultimamente, o que andamos vendo na tv brasileira é um verdadeiro show de cosplayers, com programas copiando fórmulas prontas no mundo todo, sem pedir permissão e se achando "donos" desse ou daquele formato "usurpado" da TV estrangeira, com direito a "ressentimentos" daqueles que os copiam...

Recentemente, aconteceu no Twitter uma dessa "briguinhas de cumadre", entre um "cosplayer" e um "cospobre", ou melhor dizendo, entre Luciano Huck e Homero Sales, por conta de um punhado de formatos de atrações. Enquanto Gugu apresentava a entrega da reforma de um caminhão, o apresentador da Globo ficou "alfinetando" a concorrência (alguns comentários meio ácidos demais). Após o fim do programa, Homero Sales, diretor do programa da Record, rebateu todas as afirmações de Huck... só faltou chamar de bonito.

Mas qual era a bronca, afinal?! Simples. Huck se acha o "pai" desses quadros de reforma de casa/carro, por conta de seus quadros "Lar Doce Lar" e "Lata Velha". Para ele, os outros programas que também fazem isso, como o "Programa do Gugu", o "Domingo Legal" e até o "Pânico", estão copiando suas "ideias originais". O que o marido da Angélica esquece é que nem seus quadros são 100% originais, já que a tv americana apresenta, a muito mais tempo, programas nessa mesma linha, como o "Extreme Makeover", de construção de casas; e o "Pimp my Ride", de reforma de carros. Além disso, os quadros do Huck não são licenciados dos originais, o que também caracteriza uma cópia.

Mas o que raios os "cospobres" têm a ver com essa ladainha toda? Bem... nada, mas a metáfora vale: enquanto Luciano Huck pode ser considerado o "cosplayer" dessa patacoada, graças a todo o orçamento e visibilidade que a Vênus Platinda oferece a ele, as outras emissoras ficam com os papéis de "cospobres" nessa história, já que as cópias são, digamos, estranhas. É como uma xerox da xerox. É inegável que a qualidade e o dinamismo das cópias do Huck são muito superiores que as dos outros. (sim, tô elogiando a Globo, mas ainda luto pelo "lado Record da força"!!)

Mas, pensando melhor, todos esses "copiões" da tv brasileira não passam de "cospobres", com um pouquinho mais de dinheiro que o normal, já que no Brasil, como já é tradicão, a qualidade vai se denegrindo com o tempo. Ou então, o dinamismo dos originais é jogado pela janela, como no caso do Gugu e suas reformas que duram tanto quanto uma partida de futebol (no metade da matéria você já dormiu!).

O ideal seria que nenhum programa daqui tentasse bancar o "cosplayer espertalhão". A originalidade está indo pelo ralo de uma maneira tão rápida que já não dá mais pra dizer "esse é original e esse é a cópia". No caso dos cosplayers, mesmo os muito bem feitos, ainda dá pra notar que não passam de versões (o que, convenhamos, é óbvio pra caramba!). O mesmo deveria se aplicar à nossa TV. Na ância de mostrar serviço, se equiparando ou tentando superar o original, os produtores dos programas se perdem um pouco e, mesmo com todo o orçamento do mundo, acabam se tornando só uma "cópia engraçadinha", como são os "cospobres".

Por isso, vamos colocar fim à duas coisas: à mente "cospobrística" e àquela frase do Chacrinha, "na tv nada se cria, tudo se copia". Só assim pra podermos começar a falar em qualidade!

2 comentários:

Diego Reigoto disse...

O que mais me irrita nesses quadros de assistencialismo é a exploração do drama dos participantes.

Ninguém merece criança melequenta chorando na Tv enquanto ganha todos os presentes do Gugu!

dEREK disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Concordo!!!!!
Esse sensacionalismo irrita de vez em qdo...